Quarta-feira, 09.09.09

 

Como terá reparado o leitor mais atento, AGaja dedicou os seus últimos TRÊS posts ao sexo oral. Eu com franqueza consigo dedicar à mesma temática 3 palavras: Gosto. Faz mais!

 

É nestes pormenores que este blog cumpre a sua função, ajudar a determinar as diferenças entre os sexos. Contudo, hoje vou abraçar o tipo honesto e preocupado com o mundo em que vivemos que há em mim para, primeiro; fazer uma confissão, e segundo; lançar um apelo.

 

Confissão: Eu não gosto de fazer sexo oral.

 

“Ai Jesus o que ele foi dizer numa sociedade que se quer sexualmente justa e equilibrada…”

 

Não gosto e acabou! O que é que me vão fazer? Vou para a prisão dos minetes? São três as razões fundamentais: Não me é agradável. Julgo não ter muito jeito para a coisa. E finalmente não é graficamente bonito. Dá a impressão que acabei de ser parido outra vez, já com um metro e oitenta e que fiquei por lá atarraxado com a língua.

 

“Ah e tal eu dei-te com os queixos agora tens de cá vir dar chicotadas de língua” (o famosíssimo argumento da reciprocidade oral). A dada altura o br&che deixou de ser uma forma de sexo baseada num prazer altruísta para se transformar num veículo para se conquistar o direito ao minete.

 

Minhas fofas, isto não são os pontos da Vodafone. Vocês não andam a acumular créditos para depois ganharem umas borlas. Portanto, gajedo que saca bicos por pontos; deixem-se disso. Se não quiserem não façam. Se perdem pontos? Claro que perdem, nós também os perdemos se nos recusarmos. Honestamente, alguém fica realmente satisfeito se não houver prazer do outro lado? Quem quiser assistir a um frete ofereça o Diário Económico à sua cara-metade. A única responsabilidade no sexo é dar prazer ao outro e conseguir desse acto retirar satisfação. Ou ir às p#tas.

 

“Tudo o que disser pode e vai ser utilizado contra si em tribunal”

 

O problema é que os homens não podem dizer que não gostam ou que não estão com vontade. Não. O homem tem de ser um Schwarzenegger programado para agir sexualmente em todas as frentes, sem pestanejar, sem vontade própria e sem direito ao “não”. Um homem que ouse dizer algo que não jogue com a imagem de cro-magon sem cérebro, (ou que tendo um, que esteja alojado num dos testículos) tem de se preparar para sofrer duras represálias sociais.

 

Este post é amigo daquelas coisas que as mulheres adoram. Igualdade de género e não sei quê. Mas do avesso. Vocês tiveram sempre direito aos vossos “nãos”. “Hoje não, amanhã tenho de me levantar cedo “, “No rabinho não que dói”, “Claro que não te vou sacar um bico, és hediondo do ponto de vista físico”. Frases que qualquer individuo sexualmente activo já terá ouvido.

 

Contudo, um homem só pode evacuar-se ao acto sexual caso a pila lhe seja arrancada desafortunadamente entre degraus de uma escada rolante em movimento, e mesmo assim teria de dizer bem alto para o mundo inteiro ouvir “Enquanto houver língua e dedo não há mulher que meta medo”.

 

É duro e injusto lidar com a impossibilidade de dizer “não”. É tempo de dar aos homens a palavra e o direito à nega sem que isso nos diminua sexualmente. Às vezes apetece ver o Dr. House, e depois?

 

Sim! Temos o dever de as fazer vir que nem umas malucas, pô-las a guinchar a palavra “guindaste” sem que elas percebam muito bem porquê, mas não à custa da nossa demissão enquanto seres pensantes, sensíveis e auto determinados.

 

“Não me apetece”, “Não gosto de te lamber a patareca”, “Hoje prefiro ver o Dr. House”.

 

É este o apelo: Homens! Saiam do armário heterossexual onde convivem com sacos desportivos com o símbolo antigo da Adidas e digam não! Não à asfixia sexual! Não à ditadura do sim robotizado! Digam comigo: HOJE QUERO VER O DR. HOUSE!!

 

 

PS1: Não se aplica àqueles que abdicam de sexo para ver a Anatomia de Grey. Isso já é paneleirice.

PS2: É possível que o eleitoralismo me tenha afectado.

PS3: Mas eu gosto de sexo hã?!? Á brava!




Segunda-feira, 31.08.09

 

Oláaaaa!

As férias foram agradáveis? Sim? Excelente!

Vamos lá arrumar com a terceira parte do boca doce e ficamos falados quanto a esta receita.

 

III/III – O Quase Final

 

AGaja acha que já foi quase tudo dito como fazer um marmanjo feliz utilizando a boca. Se faltar alguma coisa façam o favor de comentar… Calma! Assim todos de uma vez não!

 

Alguém dizia com orgulho. “Gaja que é gaja como deve de ser tem que querer”.

 

- Tem que querer e não se armar em parva.

- As coisas não são assim.

- Só no vosso mundo complicado. Eu quero, a gaja faz. Qual é o problema?

- És mesmo tosco!

- És diabética? Não? Então tens que querer!

- Tenho que querer o tanas!

- Lá tas tu a ser só do contra.

- Não estou nada. Os homens são todos iguais.

- Ai são?

- Não… São como as frutas. Há morangos, bananas, maçãs, pêssego, cerejas, nectarinas…

- Necta quê?

- São parecidas com os pêssegos carecas pá!

- Então porque é que não disseste logo?

- Porque gosto de dizer nectarinas.

- Tás a ver? Complicadas de merda!

- É difícil lidar com vocês.

- Não é nada.

- Tens razão. São básicos de mais né? Vais dizer as dicas ou não?

- Estávamos a falar de?

- Humpfs… sexo oral… Sexo oral…

- Ah… Atão… É simples. Mãos, língua, boca e a gaja têm que querer.

- Oh paciência… Vais aprofundar?

- As mãos devem participar com alegria. Mesmo que tenham nojo têm de deixar que terminemos na boca. O que fazem a seguir é-nos indiferente. Podem aproveitar o momento que estamos na lua para engolir ou cuspir. Atenção! Nada de dar nas vistas. É deixar aquilo cair aos poucos pela cabeça com elegância…

- O que é que preferem?

- O ideal seria engolir, a mulher perfeita engole e lambe os lábios depois (riso maléfico).

- Tás a falar a sério?

- Claro, nada é mais estúpido e frustrante do que termos o amigo no quentinho e exactamente logo a seguir termos o bicho a apanhar frio e ainda ter que ver a gulosa a fazer caretas.

- És muito parvo.

- Não sou nada, só não gosto que ele se constipe.

- Se fosse tua namorada tinha já uma palavra para ti: Abstinência.

- Se fosse teu namorado tinha 3 palavras para ti: Tens Que Querer!

 

Em Frente…

1. A pressa é inimiga da perfeição.

2. Os movimentos das mãos e da boca devem estar em sintonia.

3. Deixa a boca fechada e comprimida q.b.

4. Cuidado com os dentes, coloca os lábios sobre os dentes para evitar azares.

5. Experimenta pequenos movimentos de sucção apenas na cabeça.

6. Carinhos na vizinhança costumam ser apreciados.

7. Beijos e lambidelas na zona da igreja caiem bem...

8. Antes de avançares para o subúrbio, procura saber se ele gosta.

9. Se no meio do festival sentires vontade de arrojar com esforço pela boca as matérias contidas no estômago usa o truque da mão na base. Seguras a base, defines o cumprimento que sobra e evitas problemas com os vómitos. Lembra-te que para o truque dar certo, a mão deve acompanhar o movimento da boca.

10. Se não gostas do gosto, há vários lubrificantes com sabor nos supermercados. Vais ver que vai ajudar a disfarçar o suposto mau gosto, além do que torna o acto bem mais agradável. Os vossos gajos vão adorar. Palavra de Gaja!

11. O homem faz sexo com os olhos, logo não te esqueças do olhar. Mostra que estás a gostar. No entanto, não fiques a olhar para ele eternamente.

 

No fundo um bom chupa-chupa é como a sopa. A base é sempre a mesma, podemos é alternar e escolher os legumes que utilizamos.

 

- E se tivesses que escolher a Dica de Elite? A 1ª de todas?

- Hummm…FAZER COM VONTADE!

 

Bom… se nos entretantos não tiveres muito jeito para a coisa e perderes a tua outra metade por uns boca doces mal amanhados tem em mente que perdes só um gajo. Há pessoas que perdem as perninhas. Não é o fim.

 

E por falar em fim… Orgasmos… Masculinos…

Eis que AGaja arranja tema para a próxima escrita.




Quinta-feira, 16.07.09

 

II/III

Aiiiiii que AGaja está quase de férias. Sim, isto de andar a juntar letrinhas e a formar palavrinhas cansa, por isso vou dar uma volta (talvez duas) para descansar. Maaaasss, não quero ir sem antes deixar-vos a 2ª parte.

 

Bora lá entrar no elevador e descer uns quantos pisos…

 

Vamos lá deixar de pensar num conto de fadas vamos? Eles até que podem gostar de uns beijinhos doces aqui e ali, uma mão na barriga cada vez mais perto do umbigo pode iluminar ideias, no entanto desenganem-se minhas lindas, na cabeça destes bichos só há um pensamento: “Quando é que a gaja desce para um Olá?!?”Ou de uma maneira brega: “F”#$$-se esta já me lambia”

 

Ajoelhar para rezar porque OsGajos são religiosos:

- São?

- São!

 

Quando andarem pra ali armadas em fofas e começarem a sentir que ele abana a anca que nem uma Shakira (Olhó exagero) e que “carinhosamente” vos faz umas festas na cabeça, atenção! O que o macho realmente deseja é uma visita à igreja ao som do instrumento de metal. É hora de lamber os sinos!

É verdade! Não há igreja sem o toque dos sinos, e aqui estes ajudam o padre na missa. Fui clara? Não? Bom… Enquanto fazem festas ao doutor da igreja, tentem dar umas lambidelas e uns chupões ao Sr. Direito e ao Sr. Esquerdo (sem exagerar).

 

Depois de conhecerem um pouco o vosso guloso, arrisquem e vão ao confessionário, aquele sítio pequeno e escuro. Explorem ali à volta e quando ele menos esperar, pimpa! Aguilhoem o precioso (não esquecendo o Sr. Padre que gosta da festa). Sem medos lindas, eles gostam que nós andemos ali às voltas. Primeiro eles estranham, depois não querem outra coisa. Vícios…

 

Os homens são gulosos e se perdermos a vergonha e formos corajosas só podemos ganhar um homem fiel (ou não). Mas nada de enganos, uma ou outra vez vão engasgar-se, o sabor não vai ser dos melhores, os homens podem ser raposas e não avisar, e por falar nisso… Vai fora ou engole-se? Epah não me façam essa pergunta. Escolham a que mais vos agrada, até porque eles não querem saber disso. Portanto a livre escolha está do nosso lado. Se gostas e tens intimidade com o resultado final da coisa, vai em frente. Senão, avisa-o para que ele possa respeitar a tua decisão...

 

Afinal o que é que interessa? Interessa arranjar uma forma de amansar a fera. Os homens bem amestrados funcionam melhor para a nossa satisfação.

Como se faz a descoberta? Cada uma tem que encontrar a sua técnica. Uma opção é tentar acompanhar as reacções deles e ajustar velocidades e técnicas. No final acaba-se por descobrir as que fazem mais sucesso.

Ir ao castigo? Parece-me um preço baixo a pagar pelo prazer que pode proporcionar. Quando eles estão na lua fazem-nos quase tudo.

 

Ali está ele, indefeso, à nossa mercê... o prazer ou a dor dele está exclusivamente nas nossas mãos. Aproveitem!

 

Quando se gosta muito, tudo o resto é conversa... E o resto fica para o meu regresso, até lá é Explorar e Experimentar.




Sexta-feira, 26.06.09

Este Post tem bolinha e aviso já que vou dividi-lo em 2 partes (ou 3). Não quero cansar e não há tempo para dar três de seguida. Aqui há liberdade para o período refractário. Quem é amiga quem é?

 

I/II (ou III)

As Queixas.

 

Pegando na “doce” e “linda” Susan Boyle e juntando sexo dá o quê? Não dá nada! Porém, tinha que iniciar o texto de alguma maneira, e esta foi a melhor que encontrei.

“Que M#4d@!?! É que vou já mudar para outro qualquer blogs.sapo.pt” – Pensam já os nossos maravilhosos leitores.

 

- Acho que ir apanhar ar para outro blog é muito saudável. Mas ficar, arriscar e ler até ao fim também pode ser uma boa solução. (Ou talvez não…???)...

 

Em frente! Onde é que ia? Ah! Os Ésses: Sexo e Susan. Lá que a dita senhora nunca tenha praticado o amor é uma coisa, agora que ninguém a tenha convencido a um belo humm…a…e..humm… Boca doce, já é outra coisa. Ela não engana ninguém, e o mais certo é que já tenha ludibriado alguém com aquela voz… boca.

 

Eh lá! Solicita-se calma aos defensores da vozinha de ouro. Eu cá não quero ofender.

 

Vamos começar a falar bem ou tentar…

(A partir daqui AGaja do palácio já não se responsabiliza)

 

Sexo Oral.

Eis que os olhos se abrem e a mente desperta.

Ao longo dos tempos lá vamos ganhando experiência e conhecimento, quem é que não tem qualquer coisinha para dizer?

 

Nós sabemos que vocês gostam. Muitos não dispensam e para outros é mesmo obrigatório. Sexo que é sexo tem que incluir a bela da chupadela, porque se não tiver é como… é como pedir um bitoque e lá faltar o ovo estrelado.

 

AsGajas tem consciência do que OsGajos gostam e precisam. Sabemos que um boca doce fantástico se prende com um bom movimento bocal e manual. Contudo meus queridos, vamos lá ter paciência, é que nem sempre é fácil. Temos que pensar em tudo e ter sempre em mente que V. Exas. apreciam muito a variedade e que a monotonia tem que ficar de fora da equação.

 

Qual a razão para tanta recusa em descascar a Banana?

Qual o grande problema daquilo que se diz ou que se faz?

Não… Não é a higiene… Porque se aquilo não tiver visto água com certeza que não irá ver sabão.

 

PÊLOS!

(É horrível e desconcertante ficar com coisinhas encravadas na garganta/dentes).

Já vos passou pela cabeça, o quanto é irritante apanhar com o belo do pêlo púbico? Quebra logo ali… Coisa que vocês não gostam, mas fazer o quê? Tem mesmo que existir a paragem para um “aguenta-te aí que eu tenho que tirar isto da garganta”.

É uma imagem linda, certo? Tss… Tss… Sim, eu sei que o problema não é só vosso. É igualmente chato apanhar um cabelo nosso na boca (até porque são maiores e tudo), e como nem todas têm tamanho suficiente para o prender… não há escapatória.

 

MÃO NA CABEÇA!

(Excitante e perigoso)

AGaja gosta. É importante a orientação. A mão do OGajo funciona como um Metrónomo é certo, mas o sacana perder o norte e começar a aumentar a velocidade como se tivesse a ter um ataque epiléptico é que não. Ter a ponta da gaita a sair-nos pela nuca? EPÁ NÃO! Vocês não gostam que vos puxemos as peles como se não houvesse limite, nós não queremos deslocamentos da traqueia. Portanto lembrem-se! As orientações são essenciais e se souberem dá-las só pode ser produtivo. Vocês até têm jeito em dar orientações. Pedir orientações já é outro caminho e eu não vou por aí (pelo menos neste post).

 

O TEMPO!

Uma das coisas que AsGajas se queixam é o tempo que os machos demoram a ter o vulcão em erupção. É aborrecido e deixa de ser animador. E porquê? Porque às tantas parece que estivemos a comer pevides das mais salgadas que existem. O efeito é igual! Os lábios deixam de fazer parte do corpo, porque simplesmente deixamos de os sentir.

 

VISÃO!

O tamanho! Meus caros o tamanho é importante… lamento informar. Gaja que diga que não é, mente não querendo ferir sentimentos. Digam lá meninas, imaginam-se a ter prazer a comer um mini-milk? Escolham lá vá, Ah poisé!

 

Nota para OsGajos:

Ora se existe uma criança em cada uma de nós nem sempre existe uma Heather Brooks. (Famosa actriz porno conhecida pelas suas habilidades, para os mais distraídos).

 

Até à próxima parte…




Aqui as perspectivas são diferentes… tão diferentes quanto um gajo e uma gaja podem ser
mais sobre mim
Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27



posts recentes

Às vezes prefiro ver o Dr...

És diabética? Não? Então ...

Não é um bicho de 7 cabeç...

Susan Boyle gosta do Pudi...

Cesto da Roupa

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Tags

todas as tags

subscrever feeds