Sexta-feira, 22.05.09

 

No meio das tarefas domésticas dei por mim a pensar no texto d´OGajo.

M#$%da para a evolução. Que raio de desenvolvimento ou transformação gradual e progressiva foi esta? Lavar a loiça, limpar o pó, aspirar, lavar a roupa, passar a ferro e étecetras continuam a fazer parte da vida de qualquer Gaja. E para somar aos afazeres, ainda cuidamos de um tamagotchi que possa andar lá por casa.

 

- Não sejas ingrata, tu votas e até te deixam trabalhar...

- Pois sim!

 

Meus queridos, se o vosso 1.º pensamento ao ler as minhas primeiras palavrinhas foi: “Ah e tal, eu até que ajudo o meu amorzinho” Eu digo: “Ajudar? Ajudar?”

 

Poisé, os homens não deviam ter na cabeça que devem ajudar, devem sim, ter sempre presente a palavra PARTILHAR.

 

Ora se vivem (ou sobrevivem) nas mesmas 4 paredes, porque raio é que não podem partilhar as coisas a fazer?

 

Não, é difícil para eles. “Querida já coloquei as meias no cesto”

Que é isto???

Informam as donzelas como se estivessem a fazer um favor? Mas é preciso tirar algum curso para mexer os dedos de uma mão e agarrar nas peúgas e deposita-las no cesto da roupa? Se calhar é! Para eles, o nível de higiene e decoração limita-se a combinar a cor das mal cheirosas com o soalho ou o tapete do quarto.

 

No limite da paciência, lá explicamos que a partilha e cooperação é fundamental. Em vão? Algumas vezes. Porquê? Porque ao chamarmos à atenção em demasia, dizem que os estamos sempre a criticar e sentem-se intimidados com a nossa posição.

Tss… Tss… Tadinhos.

E se ouvissem logo à primeira? E se para além do ouvir, tentassem perceber o que realmente vos queremos dizer?

 

Em frente…

 

Chego ao dia de hoje e vejo os gajos intimidados com a nossa suposta independência e com a nossa liberdade verbal.

Intimidados com o quê? Por não termos vergonha da nossa beleza? Inteligência? Sucesso? Dinheiro na carteira? Casa própria? Intimidados com o quê?

“Ai a gaja é linda, não me vai ligar nenhuma”

“Ai a gaja sabe falar sobre tudo, e eu não”

“Ai a gaja ganha mais do que eu, e não a quero a sustentar-me”

“Ai a gaja mora sozinha, tem defeito”

“Ai a gaja é mais alta do que eu”

 

E se fechassem a matraca e utilizassem aquela parte do corpo humano que assenta no pescoço para usarem as coisas de que se lamentam para o bem comum?

 

Eles agora até se queixam da falta de atenção, e que não os elogiamos…

Afinal o que querem eles? Voltar ao século passado?




Aqui as perspectivas são diferentes… tão diferentes quanto um gajo e uma gaja podem ser
mais sobre mim
Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27



posts recentes

Parte I/II – Tss Tss…

Cesto da Roupa

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Tic Tac
Quem Está?
online
SuperBlogsAwards
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Quem Bispa?
Tags

todas as tags

subscrever feeds