3 Preservativos:
De João a 29 de Maio de 2009 às 20:32
Muito bom!


De Walter a 31 de Maio de 2009 às 03:03
Decididamente o final do texto é simplesmente soberbo... :)


De blue258 a 13 de Junho de 2009 às 17:53
A sociedade determinou - e apesar de tudo ainda determina - os nossos (das mulheres) passos e os dos homens. Senão, porque razão é que as mulheres, muitas, melhor qualificadas e com mais competências do que os homens, continuam a receber os salários mais baixos?
Quanto à questão da cozinha - os homens, lembraram-se a certa altura, de pegar nas receitas tradicionais e antigas, que já existiam, claro - nas receitas da avó - e de lhes dar uma volta - safaram-se porque as pessoas em geral, acharam piada a ver um homem como "chef" de cozinha - um homem no meio dos tachos e panelas - o que havia sido sempre associado à figura da mulher. Torna-se irrelevante neste ponto referir que muitas mulheres são péssimas cozinheiras - lá por se ser mulher, o ser boa cozinheira não está patente nos genes. Tal como muito homens ficam aquém do padrão estabelecido para os ditos.
Na questão do vestuário, ocorre-me pensar no século XVIIII - quando eram os homens, os responsáveis pelo vestuário, pelas perucas e moda em geral da data. Ora isso, a mim, faz-me rir - estão a perceber onde quero chegar?
Futebol. Os homens dedicam-se mais à actividade, logo, desenvolvem a apetência - concordo. Tenho é de referir que esse desporto, bem como muitos outros, estiveram desde muito tempo vedados às mulheres - era que nem que quisessem, nem pensar, não lhes era permitido. Eu tenho cá para mim, que desde esses tempos, os homens já sabiam que corriam o risco de serem suplantados pelas mulheres - daí que, à força toda procuraram manter as mulheres no escuro. Lá vai, que nós (mulheres) não nos fizemos rogadas - daí o resultado: campeonatos femininos. Só que a coisa custa e anda devagar - tal qual como os homens.
Outra: hoje já vemos mulheres na mecânica, na metalurgia , e em muitos outros ramos - são das melhores entre os homens. Isso vale alguma coisa, não?

E agora, só para provocar: de entre tantas figuras históricas masculinas, não há aquelas que seria melhor não mencionar? Nunca?


Comentar post